Você já convenceu algum ateu?


Pergunta via FormSpring:

Você já conseguiu convencer algum ateu de que Deus existe?

Autor: Anônimo

Resposta:

Não sei, mas já consegui que muitos que se diziam ateus admitissem que na verdade não eram ateus coisa nenhuma, só não aceitavam o deus cristão.

Anúncios

Encaremos os Fatos: Dawkins é um Frouxo

Autor: Rabino Moshe Averick
Fonte: algemeiner.com

Tradução: MikeMooreAC

Encaremos os Fatos: Dawkins é um Frouxo

Richard Dawkins, o mais alto clérigo na classificação na hierarquia do Ateísmo da Nova Era, recentemente, informou-nos da razão “real” porque ele se recusa a aceitar o convite da Universidade de Oxford para o debate com o renomado teólogo cristão, Dr. William Lane Craig. Dawkins hipocritamente declarou que desde que Craig é um “apologista do genocídio”, ele está “orgulhoso de deixar a cadeira vazia em Oxford.” O “genocídio” em questão é a guerra dos israelitas contra os cananeus moralmente devassos que ocorreu 33 séculos no passado (Para aqueles que acham a matemática difícil, isto é 3.300 anos atrás.). Concordar ou não com a análise das passagens feita pelo Dr. Craig é realmente irrelevante. Nem mesmo um hater da religião como Christopher Hitchens (que debateu com Craig) jamais sonhou de acusar Craig de defender o genocídio e a violência gratuita contra os não-crentes.

O que faz todo esse episódio melodramático ainda mais curioso são as posturas morais bastante questionáveis do próprio Richard Dawkins. Considere o seguinte: Em um artigo na Scientific American (Novembro, 1995) Dawkins nos informou numa linguagem crua e direta sua visão existencial da realidade, “O universo que observamos tem precisamente as propriedades que deveríamos esperar se não há, no fundo, nenhum projeto, nenhum propósito, nenhum mal, nenhum bem, somente a indiferença impiedosa.” Isto, obviamente, é uma expressão honesta e sincera da cosmovisão ateísta. Em um universo puramente materialista, não há espaço para realidades metafísicas como o bem e o mal. Como filósofo ateu Joel Marks apontou, “Os fundamentalistas religiosos estão corretos, sem Deus não há moralidade … o ateísmo implica amoralidade, e desde que eu sou ateu, eu devo, pois, subscrever a amoralidade.” Isto ecoa a observação perturbadora de outro ateu famoso , Sigmund Freud: “No momento em que as perguntas de um homem se voltem para o sentido e o valor da vida, ele está doente, já que objetivamente ambos não tem qualquer existência.”

Em um artigo escrito para Edge em 2006, Dawkins explicou que em um universo materialista e determinista, “culpa e responsabilidade” [grifo meu], “na verdade o bem eo mal” nada mais são do que construções mentais e “ficções úteis”, que são ” embutido em nossos cérebros por … Evolução Darwiniana “O Filósofo ateu Michael Ruse concorda inteiramente: “.. A moralidade é uma ilusão postas em prática por seus genes para torná-lo um cooperador social.” Se o bem e o mal não forem realidades metafísicas, se o ateísmo implica amoralidade, se a moralidade é uma ficção útil e uma ilusão, se na realidade objetiva a vida não tem sentido nem valor; por que exatamente Dawkins está tão moralmente indignado sobre uma guerra que teve lugar 3.300 anos atrás, e com um teólogo cristão moderno que tenta entender o sentido daquela guerra de maneira bastante imparcial e bastante reflexiva? Dawkins também ignora convenientemente que os maiores assassinos na história da humanidade foram todos ateus; Josef Stalin: 20-30.000.000 Mao Tse Tung: 50-70.000.000 Pol Pot: cerca de 2.000.000. É importante notar que estes homens cometeram suas atrocidades, não foi há 3.300 anos atrás, mas em meados do século 20! Não estou sugerindo, nem mesmo remotamente, que Dawkins seja capaz de assassinato em massa, mas alguém poderia pensar que este simples fato histórico pode temperar a sua indignação um pouco.

Tudo isso nos leva à conclusão de que a acusação que Dawkins tem lançado contra Craig não é o motivo de sua recusa em se engajar no debate, é uma desculpa. A verdadeira razão pela qual Dawkins não debate Craig é a mesma razão pela qual ele se recusa a debater com Dr. Stephen Meyer, do Instituto Discovery, sobre a Origem da Vida. Ele está com medo. Ele tem medo de debater com adversários do calibre de William Lane Craig e Stephen Meyer. O autor ateu Sam Harris observou que Craig é “o apologista cristão que parece ter colocado o temor de Deus em meus companheiros ateus.” Mesmo um blogger não-crente como  o The Guardian, Daniel Came (“Como um cético, eu tendo a concordar … sobre a falsidade do teísmo. “), escreve que,” Por isso, é bastante óbvio que Dawkins está usando estas afirmações de maneira oportunista, como uma cortina de fumaça para esconder os verdadeiros motivos para sua recusa em debater com Craig.” Vamos lá, Professor Dawkins, você não está enganando ninguém, é hora de sair do galinheiro e lutar como um homem.

Rabino Moshe Averick é um rabino ortodoxo e autor do Nonsense of a High Order: The Confused and Illusory World of the Atheist. O livro está disponível na Amazon.com e Kindle. Averick rabino pode ser contactado pelo seu website.

Meus Comentários (MikeMooreAC)

Dawkins parece estar em uma sinuca de bico criada por ele mesmo. Me parece claro que ele já percebeu que não pode mais sustentar seu argumento “Boing 171” contra a existência de Deus depois que o Dr Craig fez uma refutação simplesmente arrasadora.

Sendo soberbo demais para admitir que errou não em algo perifério em Deus um Delirio, sua “obra prima”, mas bem no coração dela, ele parte agora para todo tipo de ataque e truque fajuto contra Craig para justificar o injustificável.

Que ele vá voltar atrás me parece muito improvável. O mais certo é que ele e suas tietes irão cada vez mais se fechar em sua seita revolucionária neoateísta, totalmente alheios as críticas que vem de todos os lados do mundo real: ateus, cristãos, judeus etc.

Neoateísmo e Verdade Não Se Misturam

Quanto mais debato com neoateus mais percebo que quase tudo que sai da boca deles é tão a priori improvável quanto empiricamente falso.

Checar se uma afirmação deles é fato é quase sempre perda de tempo. O melhor a fazer é não dar crédito algum e exigir que ELES apresentem as provas.  Nada mais justo uma vez que o ônus de provar é de quem faz uma alegação. Você pode exercer a caridade de verificar você mesmo uma afirmação se o debatedor NÃO for um neoateu, mas não perca seu tempo com neoateus.

Mas esteja alertado que nesta fase ou eles irão enrolar ou partirão para ataques pessoais, frases de efeito e toda sorte de truques neoateus. Entenda que você não está lidando com uma pessoa normal. Raramente eles tentarão apresentar alguma prova do que dizem, porque ela simplesmente não existirá.